31 outubro, 2014

Empresa desenvolve linha de cebolas híbridas adaptadas a diferentes regiões do país

agricultura_cebola_híbrida_agristar_topseed_premium (Foto: Divulgação/Agristar do Brasil) Globo Rural - Nos últimos anos, a cultura da cebola cresceu de forma significativa, seja do ponto de vista tecnológico ou de produtividade. O Brasil já é o oitavo produtor mundial do legume, que compete de perto com a batata e o tomate em termos de volume de produção e geração de renda. Para atender a demanda pelo plantio em diferentes regiões do país, a Topseed Premium, linha de sementes de alta tecnologia, desenvolveu 13 híbridos comerciais de cebola. Ao todo, a Agristar Brasil, empresa que lançou a linha, tem quatro estações experimentais instaladas nos Estados de São Paulo, Goiás, Rio Grande do Norte e Santa Catarina.

Segundo o especialista em bulbos e raízes da Agristar, Samuel Sant’anna, a utilização de variedades híbridas possibilita aos produtores de cebola aumentar a produtividade. "Em algumas regiões, como o Triângulo Mineiro e Goiás, é possível obter até 120 toneladas por hectare, além de ampliar o período de plantio e colheita, garantindo oferta constante do produto no mercado”, diz. De acordo com ele, para instruir os produtores, a empresa realiza dias de campo e tem à disposição técnicos espalhados pelo país. "Cada material tem sua particularidade: existem materiais mais exigentes no manejo hídrico; outros, na adubação. Às vezes, dependendo da época de plantio, o resultado do mesmo material pode ser diferente", diz. Daí a importância de buscar informação antes de implantar a cultura.
saiba mais

Durante a 21ª edição da Hortitec, em Holambra (SP), a Topseed Premium lançou mais uma variedade híbrida no mercado brasileiro: a Cebola Lucinda, que tem sido cultivada nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. “A cultivar apresenta folhagem verde escura com alta cerosidade, elevado potencial produtivo, alto rendimento de caixa e boa conservação pós-colheita", afirma Sant’anna. Segundo o especilista, nas gôndolas, o produto se destaca por sua coloração amarela escura e pelo sabor agradável ao paladar, menos ardido. No Brasil, os principais polos de produção de cebola estão localizados na região Nordeste (Irecê/BA e Vale do São Francisco), em Goiás (Cristalina/PAD-DF), Minas Gerais (Alto Paranaíba e Triângulo Mineiro), São Paulo (Monte Alto, São José do Rio Pardo e Piedade), Paraná (Irati e Castro), Santa Catarina (Ituporanga e Planalto Norte) e no Rio Grande do Sul (Serra Gaúcha e o polo de São José do Norte).

Quarta - Dia de Nascimento de Pintos




Equipe:

Afrânio e Antônio Batista na Seleção
Roberto e Carlos Porto na Sexagem
José Augusto e Zé Aprígio na Vacinação




30 outubro, 2014

D i v u l g a ç ã o

Baixe SAM_4808.JPG (792,2 KB)
 Estivemos hoje na Rádio Rural de Caicó e FM 106 para divulgação dos trabalhos do Projeto do MDA em avicultura caipira.

Agrademos aos profissionais  das Rádios pela oportunidade.

29 outubro, 2014

Codevasf passou a ser operadora oficial do sistema de gestão do projeto de Integração do São Francisco

PISF passa por testes no Eixo LestePor meio de decreto assinado pela presidenta Dilma em março deste ano (decreto presidencial 8.207), a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) passou a ser operadora oficial do sistema de gestão do PISF. O decreto estabelece que a região de integração, cujo sistema de gestão a Codevasf vai operar, compreende o conjunto de municípios abastecidos pelas estruturas hídricas interligadas aos eixos Norte e Leste do PISF e aos seus ramais, inseridos nas bacias e sub-bacias receptoras nos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

O Eixo Norte do projeto de integração vai captar água no rio São Francisco – próximo ao município Cabrobó (PE) – conduzindo para as bacias dos rios Salgado e Jaguaribe (CE); Apodi (RN); e Piranhas-Açu (PB/RN). O Eixo Leste vai percorrer 220 quilômetros até o rio Paraíba (PB), após transferir parte da vazão para as bacias do Pajeú, do Moxotó e da região agreste de Pernambuco.

Como operadora federal do sistema de gestão do PISF, caberá à Codevasf receber a infraestrutura implantada pelo Ministério da Integração Nacional (MI) ao longo do projeto (canais, estações de bombeamento, equipamentos eletromecânicos etc) para exercer as atividades de gestão, operação e manutenção das estruturas do sistema PISF.

O Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional busca assegurar a oferta de água, em 2025, a cerca de 12 milhões de habitantes de 390 municípios do agreste e do sertão de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

Com investimento previsto de R$ 8,2 bilhões, o PISF é a maior obra de infraestrutura hídrica para usos múltiplos executada diretamente pelo governo federal, sob a coordenação do Ministério da Integração Nacional. Por meio da Secretaria de Infraestrutura Hídrica (SIH), o MI é responsável pela implantação de todas as obras de infraestrutura, como canais, estações de bombeamento, aquedutos e túneis. O PISF foi concebido pelo Ministério da Integração Nacional, que também é o responsável pela implantação das obras.

Com informações do Ministério da Integração Nacional
A água chegou ao canal do Projeto de Integração do São Francisco (PISF), do lago de Itaparica até o reservatório de Areias, em Pernambuco. Os primeiros testes na Estação de Bombeamento do Eixo Leste do projeto foram acompanhados pelo ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, em Floresta (PE), cumprindo o cronograma oficial de andamento das obras. Até o final deste ano, a Meta 1 Leste estará em pré-operação, o que significa que os sistemas, equipamentos e estruturas estão em preparação para a futura operação comercial.

“É uma obra que tem muita simbologia e uma importância grande para os estados do Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. É uma obra complexa, de grande magnitude, mas que o governo federal está fazendo”, disse o ministro Teixeira. “Essa obra avançou bastante e para nós é uma felicidade ver esse primeiro teste de bombeamento e um trecho de 15 quilômetros de canais com água”, afirmou a ministra Miriam.

Durante os testes de bombeamento é realizada sequência de ajustes entre os vários equipamentos que compõem a Estação de Bombeamento. A EBV – 1, em Floresta (PE), possui dois conjuntos de motobombas instalados – sendo que cada bomba pesa cerca de 100 toneladas, o equivalente a 100 veículos populares. Além desses equipamentos, o Ministério também realiza a interação entre os quadros de corrente de energia, softstarter (controle de corrente de energia dos motores), motores, bombas e válvulas.

Os ajustes são necessários para calibração do sistema, visando alcançar a melhor eficiência do conjunto de motobombas. Os testes na EBV-1 prosseguem até o fim do ano e envolvem o bombeamento da água do lago de Itaparica até a o reservatório Areias, situados no município pernambucano de Floresta.

Enchimento dos canais – A fase de testes de bombeamento ocorre após a abertura das ensecadeiras (barramento), que permitiu a entrada da água do rio São Francisco em cada um dos canais de aproximação, dos Eixos Leste e Norte, do empreendimento. O processo, iniciado em agosto, representa a primeira etapa de pré-operação do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Estações de Bombeamento – As EBs são estruturas responsáveis por elevar a água de um terreno mais baixo para um mais alto. O Projeto de Integração do Rio São Francisco possui seis Elevatórias no Eixo Leste e três Estações no Eixo Norte.

Ao todo, as estruturas do Eixo Leste vão elevar a água 300 metros acima do nível médio do lago de Itaparica até o ponto mais alto do canal - altura que pode ser comparada a um edifício de 100 andares. No Eixo Norte, a água será elevada, aproximadamente, 181 metros acima do nível do rio São Francisco – altura que pode ser comparada a um prédio de 58 andares.

Sobre o Projeto – As obras do Projeto deverão ser concluídas, em sua totalidade, até dezembro de 2015. O empreendimento apresenta 66,1% de execução física. Mais de 11.493 trabalhadores atuam em sua construção. São 4.101 máquinas em operação ao longo dos 477 km de extensão das obras. Até junho de 2015 deverão estar concluídas as obras até o reservatório Jati (CE), no Eixo Norte, e até o reservatório Moxotó (PE), no Eixo Leste, que totalizam quase 300 km.

Colaboração ao Blog: Rafson Varela dos Santos
Bacharel em Aquicultura
Mestrando em Ciência Animal - UFERSA
(86) 9807 3790 (tim)
(86) 8142 6191 (vivo)
(86) 3322 4034 (fixo)
Endereço para acessar CV: http://lattes.cnpq.br/5524043280188969 

Solicitação

De: Emmanoel Costa <emateus@rn.gov.br>
Data: 28 de outubro de 2014 12:36
Assunto: Solicitação
Para: emparngab@gmail.com
Cc: Mário Varela Amorim <mvamorim@rn.gov.br>, mario@consulte.eng.br

Conforme entendimentos já mantidos com José Simplício, Marcone e José Geraldo, amanhã dia 29/10 às 10 horas estaremos fazendo uma visita a essa instituição com a presença do presidente do Crea-RN, Modesto Ferreira dos Santos, postulante a reeleição. Solicitamos a gentileza de informar aos colegas que fazem parte desse conselho profissional(Agronomos, Eng. Civil, Florestal, Tecnicos) para se fazerem presentes a esse encontro. Agradecemos o empenho.

Emmanoel Mateus Alves Costa

Engenheiro Agrônomo
Conselheiro Federal - CONFEA - Suplente
Presidente da Associação dos Servidores da Emater/ASSEMA-RN
Funcionário do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio Grande do Norte
e-mail: emateus@rn.gov.br
Fones: (84) 9974-2558/8719-1795/3232-2254

Pesquisa revela que saliva do carrapato pode curar câncer

Resultado de imagem para foto do carrapato estrela
Carrapato estrela
A União Farmacêutica Nacional, co-titular da patente e detentora do licenciamento para comercialização de um medicamento feito a partir de uma proteína recombinante obtida a partir dos genes da glândula salivar do carrapato, enviará em novembro à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) uma solicitação para que testes possam ser iniciados em seres humanos.
Os estudos, feitos por pesquisadores do Instituto Butantan a partir da genética do carrapato Amblyoma cajennense, conhecido como carrapato-estrela, identificaram uma proteína com ação anticoagulante e potencialmente anticancerígena.
Experiências realizadas em camundongos apontaram redução ou eliminação de tumores do tipo melanoma (câncer de pele), tumores de pâncreas e renais, e a redução de metástases pulmonares, dependendo do número de doses da formulação aplicadas nos animais.
Os pesquisadores observaram também que a substância foi totalmente excretada por animais saudáveis, mas conduzida diretamente ao tumor em animais que tinham câncer. “Isso significa que a saliva do carrapato possui propriedades tóxicas para células tumorais, sem oferecer risco para células saudáveis”, explica a coordenadora do estudo e responsável pelo Laboratório de Bioquímica e Biofísica do Instituto Butantan, Ana Marisa Chudzinski-Tavassi.
Segundo a pesquisadora, o objetivo do estudo é a obtenção de um medicamento capaz de tratar a doença. Após a realização de testes feitos em humanos, os resultados serão submetidos a análises de comitês de ética e ensaios clínicos, antes de chegar ao mercado.
A investigação foi iniciada em 2003 e conta com financiamento da União Química Indústria Farmacêutica, além de recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES). A expectativa é que o medicamento seja totalmente produzido no Brasil. (Fonte: Terra)

28 outubro, 2014

Reunião em Caicó discutiu Projeto do MDA para a avicultura

Uma equipe composta pelo Diretor de Pesquisa, Dr Simplício de Holanda, pelo Coordenador de Produção Animal, Dr Guilherme Ferreira, pelo Coordenador do projeto Dr Newton Auto de Sousa, pelos Gerentes das Bases de Cruzeta, Apodi, Terras Secas, Caicó e Mossoró, dentre outros, esteve hoje, dia 27 de outubro na Emparn Caicó para dar andamento às ações de implementação do grande Projeto envolvendo a avicultura caipira.

Serão construídos em todo o estado, 03 Centros de Manejo, 20 Unidades Demonstrativas, além de desenvolvimento de 07 ações de pesquisa na área.

Consta também no Projeto melhorias no Núcleo de Produção da Ave Caipira em Caicó, com construção de abatedouro, reforma na fábrica de ração, melhoria no sistema de isolamento, compra de carro para transporte de pintos, contratação de 03 bolsistas, e outras providências.

É intenção da Diretoria aperfeiçoar todo o processo de produção da ave caipira investindo na estrutura física para a maior profissionalização da produção.

Espaço do leitor


Resposta do Gerente da Emparn de Cruzeta sobre a Casa de Hóspede:

Olá amigo, Tudo bem? É com muito prazer que tento responder seu e-mail, pois nos sentimos honrados em divulgar as coisas boas que temos em nossa terra natal.

Essa casa que lhe despertou tanto interesse, é denominada casa de hóspedes, pois quando passou para o domínio da EMPARN – EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA DO RIO GRANDE DO NORTE - sempre foi utilizada como apoio aos pesquisadores da EMPARN, que se deslocavam para a Estação Experimental de Cruzeta, para desenvolver suas pesquisas de campo.

Ela foi construída nos idos de 1930, por ocasião da fundação da ESTAÇÃO EXPERIMENTAL DO SERIDÓ, Estação essa, que foi criada pelo Ministério da Agricultura, para pesquisar e fomentar a Cultura do Algodão, dando ênfase ao algodão arbóreo, denominado em nossa região de “algodão mocó”, de fibra longa, muito valorizado pela indústria têxtil até os anos 80 do século XX. Mas voltando ao histórico da casa de hóspedes, ela foi construída para ser a residência do chefe da Estação Experimental do Seridó, que normalmente era um Agrônomo; funcionou como tal, até 1972, quando o Ministério da Agricultura, cedeu as instalações da Estação para a EMBRAPA - (EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA – fundada naquele ano, daí então, a casa passou a ser o ponto de apoio aos pesquisadores que vinham realizar suas pesquisa de campo.

Em 1980 o governo do RN, Instituiu a EMPARN, que tem ações da EMBRAPA, logo a EMBRAPA passou a administração da Estação Experimental para a EMPARN, o que não alterou o funcionamento da casa, como sendo de hóspedes. Ao longo do tempo ela (a casa) passou por algumas reformas, porém, a que presenciei foi no ano de 2000, onde ela foi transformada em alojamento masculino, pois a partir desse período, a Estação passou a funcionar também como Centro de Treinamento para Agricultores, Estudantes da área agrária, entre outros. Nessa última reforma em 2000, foram modificados a quantidade e posicionamento dos cômodos, porém, tiveram o cuidado de não modificar seu design.


Quanto a sua planta baixa, infelizmente não dispomos da mesma em nossos arquivos.
Suas dimensões são:
Frente 18.0 metros
Fundo: 15.0 metros Quintal (muro): 18.0 X 18.0 metros


Disposição dos Espaços:
Alpendre em U
Sala de entrada
Suite                                                                                   
Dois Quartos Coletivos
Dois Banheiros Coletivos
Cozinha
Área de Serviço
Quintal (Muro)
Garagem (em separado)