31 agosto, 2015

Emparn recebe mais um lote de aves Matrizes

Recebemos nesse sábado, dia 29 de agosto, mais um lote de aves Matrizes proveniente de Gramado no Rio Grande do Sul.

Como fornecedor exclusivo da linhagem, a empresa certificada pelo MAPA, garante a qualidade genética e sanitária dos animais.

Com a aquisição de mais esse lote, a renovação do plantel fica garantida por pelo menos mais 01 ano, possibilitando a continuidade do Projeto Ave Caipira.

Governo do RN vai definir nova lista de municípios em emergência devido à estiagem

Na próxima quinta-feira (3), o Governo do Estado definirá quais os municípios serão incluídos na renovação do decreto de emergência da seca. Em reunião do comitê de seca, cada um dos órgãos envolvidos apresentará um parecer técnico com o mapeamento da situação hídrica dos municípios potiguares. Os laudos serão emitidos por cada órgão envolvido e irá subsidiar a decisão sobre o número de cidades a serem incluídas na renovação do decreto. O documento em vigor perde a validade na primeira semana de outubro.

Em todo o Rio Grande do Norte, são 153 cidades em situação de emergência, por motivo da seca, o equivalente a 91% dos municípios do Rio Grande do Norte. Desse total, 123 vêm sendo abastecidos pela Operação Carro-Pipa. Segundo dados da Caern, nove municípios enfrentam situação de colapso no abastecimento de água e outros 36 estão em sistema de rodízio.

Com o decreto de emergência, os municípios incluídos podem solicitar a operação carro-pipa para o abastecimento de água. No primeiro ano, 2012, a operação carro-pipa consumiu R$ 32,5 milhões. No ano seguinte, foram R$ 59 milhões, e no ano passado, R$ 75 milhões. Até junho deste ano, o dispêndio com a ação já havia sido de R$ 43 milhões.

O decreto possibilita aos agricultores renegociar suas dívidas com os bancos e receber milho subsidiado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Desde 2012, o Governo do Estado vem reeditando a calamidade pública no RN em função da estiagem prolongada de quatro anos.

A renovação começou a ser discutida na sexta-feira (28), na em reunião da equipe técnica da na Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sape), com o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Mairton França, e representantes do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), Emparn, Caern, Defesa Civil estadual e Defesa Civil de Mossoró.

Na ocasião, a Emparn fez uma rápida apresentação sobre a situação das chuvas no estado e a previsão para os próximos meses. O encontro na quinta-feira (3) acontecerá na Sape. 
 
Tribuna do Norte

30 agosto, 2015

Série - Transgênicos

A EVOLUÇÃO DO TRANSGÊNICO

Desde que estudantes da Universidade Stanford tiveram a ideia de criar um DNA feito pelo homem, muita coisa mudou nos produtos geneticamente modificados

1935 - O cientista russo Andrei Nikolaevich Belozersky isola o DNA pela primeira vez

1973 - Estudantes de medicina da Universidade Stanford têm a ideia de criar um DNA feito pelo homem

1980 - É emitida a primeira patente para um ser transgênico. Trata-se de uma bactéria que se alimenta de petróleo

1994 - O primeiro alimento transgênico, o molho de tomate Flavr Savr, chega aos supermercados

1996 - Na Austrália, uma espécie de erva daninha fica até 11 vezes mais resistente ao herbicida glifosato

1997 - A União Europeia exige que os alimentos transgênicos sejam identificados no rótulo

1998 - Justiça brasileira impede o plantio de sementes geneticamente modificadas

2003 - Encontrado nos EUA o primeiro inseto resistente às plantas transgênicas, a Helicoverpa zea. Governo brasileiro autoriza o plantio de soja geneticamente modificada

2004 - No Brasil, todos os produtos que contêm transgênicos devem ser identificados com um símbolo na embalagem

2005 - Algodão da Monsanto é liberado para plantio no Brasil. Dois anos depois, três tipos de milho também seriam aprovados

2014 - Expira a patente para a linha de sementes geneticamente modificadas Roundup Ready, da Monsanto 
 
Por Gustavo Poloni, Nathan Fernandes e Thiago Tanji, Rev Galileu

29 agosto, 2015

Seminários Emparn

Abaixo programação do Seminário da EMPARN versão agosto/2015. Contamos com a participação de todos a partir das 9 horas da próxima segunda-feira (31/08/2015)

· Produção adensada e irrigada da palma forrageira para garantir a segurança alimentar e escala de produção da pecuária familiar no semiárido - Guilherme F. C. Lima 
Resultado de imagem para palma forrageira


· Estratégias de Manejo Visando ao Controle das Principais Espécies de Cochonilhas-praga, Diaspis echinocacti e Dactylopius opuntiae, na Cultura da Palma Forrageira - Marcos C. M. das Chagas 
Resultado de imagem para palma forrageira
 

- Viabilidade Econômica da Galinha Caipira - Newton A. de Souza 
Resultado de imagem para galinha caipira


Despesca na Major César garante 300 quilos de peixes

Projeto faz parte do processo de humanização e estimula o trabalho entre os internos.
 
A diretoria da Colônia Agrícola Major César Oliveira realizou a despesca de 300 quilos de tilápias do tanque de piscicultura da unidade penitenciária. O cultivo dos peixes foi feito durante oito meses com ajuda dos próprios internos.

Durante a despesca, foram separados 500 alevinos, que já estão sendo criados em um tanque específico, assegurando, com isso, a próxima safra de tilápias. O investimento vem do suprimento de fundo da Major César, que garante a compra de ração.

"Distribuímos peixes para internos e seus familiares, funcionários da Major, do Hospital Penitenciário e da Casa de Detenção de Altos. A tilápia se reproduz jovem e sempre teremos alevinos para manter a produção", diz o gerente da unidade, Márcio França.

O secretário de Justiça, Daniel Oliveira, destaca que o projeto faz parte do processo de humanização e estimula o trabalho entre os internos, garantindo resultados significativos em termos de produção e ressocialização. 
 
Israel Rêgo
Colaboração ao Blog: Rafson Varela, Codevasf Piaui

28 agosto, 2015

Relatório 4ª semana desassoreamento Açude Mundo Novo

Na 4ª semana entre 24 a 28 de agosto:

276 carradas
4.140 m3

O total acumulado de material retirado até agora, corresponde a 0,2 % do volume original.(volume recuperado).

Rádio Seridó visita o Mundo Novo





O jornalista Suebter Néry da Rádio Seridó veio verificar in loco os trabalho de desassoreamento do Açude Mundo Novo.

1ª reunião do CTI EMPARN

Prezado(a) Senhor(a),
Pelo presente, ficam convocados os membros do Comitê Técnico Interno – CTI para uma reunião no dia 31/08/2015 às 12h na Sala de Reuniões da EMPARN para tratar da seguinte pauta:

· Adequação da árvore de conhecimento da EMPARN – Diretrizes para atuação nos próximos três anos;
· Análise da adesão da EMPARN aos macrotemas do Agropensa Embrapa.

Reiteramos a importância da presença de todos os membros do CTI na reunião.

José Simplício de Holanda
Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento

Visitas técnicas


Hoje, recebemos na Emparn Caicó mais uma turma do Curso de Ave Caipira do Senar ministrado pela professora Cintia.

O Eng Agrônomo Newton Auto de Sousa apresentou a palestra "Ave Caipira - Viabilidade Econômica e realizou demonstração prática nas instalações de pesquisas.

A turma composta de 14 agricultores e agricultoras está concluindo o curso de avicultura caipira e são  moradores da Comunidade Retiro, município de Caicó.

1ª reunião do CTI EMPARN


Prezado(a) Senhor(a),

Pelo presente, ficam convocados os membros do Comitê Técnico Interno – CTI para uma reunião no dia 31/08/2015 às 12h na Sala de Reuniões da EMPARN para tratar da seguinte pauta:

· Adequação da árvore de conhecimento da EMPARN – Diretrizes para atuação nos próximos três anos;
· Análise da adesão da EMPARN aos macrotemas do Agropensa Embrapa.

Reiteramos a importância da presença de todos os membros do CTI na reunião.

José Simplício de Holanda
Diretor de Pesquisa e Desenvolvimento

Reunião entre instituições discute projeto para mulheres rurais

A Cooperativa de Agricultura Familiar de São João do Sabugi e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Caicó estão elaborando um projeto que envolve o núcleo de mulheres rurais contemplando 10 famílias.

As ações serão direcionadas a atividades de produção de palma forrageira irrigada e ave caipira em sistema integrado. 

Convidados a ouvir e acrescentar à proposta, estiveram reunidos ontem, a Emparn (José Augusto Filho), a Emater (Emanoel) e a Secretaria Municipal de Agricultura (Bruno). 

As Diretorias de cada órgão serão ainda comunicadas para oficialização das possíveis coparticipações.

27 agosto, 2015

O tempo que voa, o planejamento que para e o meio ambiente que sofre

Jared Diamont , em seu livro “Colapso” (Ed. Record, 2013) deixa claro quando enuncia o seu modelo de análise da sobrevivência das sociedades que já habitaram e habitam o planeta, em 5 grandes pilares: os danos que as pessoas em um determinado momento infligem ao meio ambiente, a mudança climática, os vizinhos hostis redundando em conflitos ou na competitividade do capitalismo selvagem, os parceiros comerciais que compram e vendem gêneros, e a resposta que o estado/governo dá aos problemas sociais.

O tempo analisado na interatividade humana é sempre contado em muitas décadas, séculos ou milênios o que nos confere ainda mais a sensação de insignificância em face da luta pela vida que carrega ideais e (presumíveis) melhorias que não acontecem, ou sempre ficam aquém do esperado.  Essa é a linha comum de todas as eras e em todas as partes do globo, e atualmente, bem representada pelas instancias políticas do curtíssimo prazo. Nessas, como ampliadas numa lente de aumento poderosa, conferimos a insensatez e a inconsequência na representação dos oportunistas de cada uma das épocas e civilizações, que conseguem tomar decisões, sem qualquer valor moral ou conduta ética. A história é a mesma, tudo por uma vida boa hic etnunc (aqui e agora)!

Nos tempos atuais, a visão de futuro ou a preocupação com as novas gerações, com poucas ações concretas no planeta, parece um discurso bolorento de 50 anos atrás, coisa de hippie doidão. Mas, como a omissão é um pecado tão mortal quanto a destruição da natureza, o alerta continua sendo dado por alguns altruístas (organizações e pessoas) que teimam em confrontar a exploração irresponsável. A obstinação se aproxima do mito de Sísifo que foi obrigado pelos deuses a rolar uma pedra montanha acima, embora ela sempre, ao chegar no cume, rolasse montanha abaixo reiniciando o sofrimento. Em outras palavras, existem lutas que se arrastam há décadas e a sociedade ainda não conseguiu concluir, a exemplo da devastação dos madeireiros na Amazônia, das denúncias às mineradoras que aniquilam os rios e lençóis freáticos, a insanidade da pesca dos navios baleeiros, o crime de exploração de petróleo no Ártico, ou ainda, mais perto de nós, a sanha desenfreada de empreiteiros na devastação dos cinturões verdes urbanos.

Com o problema da seca que atinge os principais mananciais das grandes metrópoles do país, o governo atual acredita que a única ajuda que pode vir do céu é a chuva. De desculpinha em desculpinha, o programa espacial brasileiro empacou novamente após a revogação, em julho de 2015, do decreto do Projeto comum Brasil-Ucrânia Cyclone 4, e depois desses países terem investido (?) algo em torno de um bilhão de reais. A dependência tecnológica dificulta o sensoriamento remoto de regiões degradadas em imagens captadas por satélites e o gerenciamento meteorológico, monitorando o avanço ilegal da produção agrícola de culturas de sobrepasteio como a degradação da caatinga, a desertificação pela monocultura comercial (cana e soja principalmente) e a agonia lenta da floresta amazônica. A palavra mais utilizada de quem não sabe planejar e depende da sorte proveniente da incompetência e corrupção, é contingência. As contingências mudaram (e não foram ao menos pensadas), assim pede-se mais verba contingencial para ações emergenciais de uma acomodação plena. Mudar esse método de desgoverno é tão encorajador como ensinar música a um macaco.

Com o corte de 70 bilhões de reais do Orçamento por conta do ajuste fiscal, é nítido que a contrapartida é uma dívida pública que não para de crescer; de 2004 a 2013 seu crescimento foi de 8,98% aa., ao passo que o PIB cresceu no mesmo período 3,64% aa.. É a cobra que engole o próprio rabo, isto é, o superávit primário serve apenas para aumentar e rolar a própria dívida de um governo que massacra a educação, a pesquisa, saúde, ciência e tecnologia, e sabe-se lá o que mais. O mercado já assinala aos investidores que o risco Brasil está aumentando, uma vez que agencias de classificação rebaixaram a nota de crédito do país em moeda estrangeira (BBB- para BB+, Austin Rating). O significado disto, não só para a recuperação da credibilidade econômica como para investimentos necessários que só trazem seus resultados no longo prazo, é o caos na gestão imediatista que se instala nas decisões de mentalidade e prazo curtos.

Referência
mb@mbambirra.com.br
Márcio Bambirra Santos
Administrador e Economista. Professor doutor no CEFET-MG
Edição Vol. 2, N. 16, 17 de Agosto de 2015, Nanocellnews.2015.08.17.007

Missa de 1 Ano de falecimento

Pelo presente, convidamos V.Sa. para participar da missa de 1 Ano de falecimento do nosso amigo José Flamarion de Oliveira, que será celebrada no próximo dia 31/08/2015 , às 20h na Igreja de Santo Afonso Maria de Ligório – Mirassol, conforme convite em anexo.

Atenciosamente,

Cláudia Guedes

Gabinete EMPARN

Tal qual o Mundo Novo, o Itans poderá ser desassoreado

O vereador Rubão Germano se reuniu hoje com o deputado estadual Nelter Queiroz para tratar sobre a possibilidade, de junto ao IDEMA e ao DNOCS, buscar viabilizar a realização do serviço de desassoreamento no Açude Itans, pleito do vereador Rubão já apresentado a direção desses órgãos, que contará agora com o reforço de Nelter. 
 
Serviço semelhante vem sendo feito no Açude Mundo Novo, em Caicó, gerando bons resultados. 
 
Fonte: Facebook Rubão

25 agosto, 2015

Série - Transgênicos

A produção de alimentos acompanhará o crescimento da humanidade?

A matemática é simples: de acordo com dados divulgados pela FAO, nosso planeta deverá abrigar 9,6 bilhões de pessoas até 2050. Será necessário um crescimento de 70% do total de terra cultivável para produzir alimentos em quantidade suficiente para todos, com investimentos estimados em US$83 bilhões anuais. Para superar esse gargalo, o desenvolvimento de transgênicos em larga escala é defendido pelas empresas de biotecnologia, mas não é uma unanimidade entre especialistas. “É necessário fazer um balanço da agricultura moderna porque as monoculturas são insustentáveis do ponto de vista ecológico e se contrapõem a um dos princípios básicos da natureza: a diversidade”, afirma Paulo Brack, professor do departamento de botânica da UFRGS.

A agricultura orgânica, que não utiliza agrotóxicos nem sementes geneticamente modificadas em sua produção, é um contraponto a esse modelo, mas ainda não consegue competir com as grandes plantações. “O alimento orgânico é um segmento de mercado, você não consegue uma produtividade elevada, e o preço é alto”, diz Mateus Mondin, professor do departamento de genética da Esalq. “Minha preocupação é com a fome no mundo, e esse problema não se resolve com um segmento de mercado.” Para o pesquisador, no entanto, a aplicação de algumas técnicas orgânicas ajudaria a agricultura tradicional até que a ciência consiga equilibrar a relação entre sustentabilidade e produção. “Não acredito que o transgênico seja definitivo, aparecerão alternativas dentro de dez ou 20 anos, porque essa é uma tecnologia cara e frágil.”
 
Por Gustavo Poloni, Nathan Fernandes e Thiago Tanj, Rev GalileuS